Vale Esclarece

A Vale apoia as ações da Samarco desde o primeiro dia do acidente

Comunicados

< Voltar
Compartilhar: Whatsapp

11/11/2015

Em coletiva de imprensa, Murilo Ferreira expressa total solidariedade aos afetados pelo acidente em Minas Gerais



Nesta quarta, 11/11, ao meio-dia, nosso diretor-presidente Murilo Ferreira participou de uma coletiva de imprensa junto com os líderes da Samarco, Ricardo Vescovi, e da BHP Billiton, Andrew Mackenzie, sobre o rompimento das barragens da empresa nos municípios de Mariana e Ouro Preto (MG), na última quinta-feira, 5/11.

Murilo Ferreira abriu o encontro, realizado na unidade de Germano, na Samarco. “Gostaria de expressar nossa solidariedade aos moradores de Mariana e nossa consternação com o que aconteceu na última quinta-feira. Lamentamos profundamente a perda de vidas e a incerteza sobre os desaparecidos”.

A Vale e a BHP são acionistas da Samarco (cada uma com um percentual de 50%) e estão unindo esforços nas ações de apoio aos afetados pelo acidente. Segundo Murilo, o comando das operações é da Samarco e a Vale e a BHP, como sócias, devem apoiar no que for preciso. “Gostaria de explicar que a Samarco não é uma parte da Vale. A Samarco é uma empresa independente, tem a sua governança própria e as decisões da empresa ocorrem no Conselho de Administração. Nesse momento de emergência nós nos fizemos presentes para ajudar e prestar o apoio no que for preciso”, explicou Murilo.

Lembrando um dos nossos valores, “A vida em primeiro lugar”, o nosso diretor-presidente ressaltou que, nesse momento, o foco são as pessoas. “Ajudar, reconstruir, apoiar. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para diminuir a dor dessas pessoas. Estamos e estaremos sempre ao lado da Samarco e do povo de Minas e do Espírito Santo. E agiremos sempre com total transparência”, disse aos jornalistas.

Os empregados da Samarco estão em licença remunerada até 1º dezembro e depois vão entrar em férias coletivas. Durante a entrevista, o diretor-presidente da Samarco desmentiu os boatos de demissões e ressaltou que os empregados estão trabalhando 24 horas, de forma solidária, no apoio às vítimas e na redução dos impactos ambientais.

Compartilhar: Whatsapp